Publicado em

Partes do Caiaque Oceânico Turismo

curso-iniciação-canoagem-aca

Agora que você já descobriu a canoagem oceânica e entendeu a magia proporcionada por este fantástico modo de viajar, vamos falar das partes que compõem um Caiaque Oceânico Turismo.

A maioria dos nomes são facilmente entendidos; outros, nem tanto. Apresentamos portanto, de forma resumida os principais itens que compõem o caiaque:

– Convés: O lado superior ou a parte de cima do caiaque, aquela que fica acima do nível da água e exposta;

– Casco: A parte de baixo do caiaque, que deve ficar em sua grande parte em contato direto com a água;

– Leme ou Skeg: o leme é uma quilha retrátil,  controlada pelos pés, enquanto o Skeg é uma quilha estática. Ambos possuem o objetivo de ajudá-lo a manter o direcionamento da embarcação.

– Linha de Vida ou Linha de Perímetro: são cordas que percorrem o perímetro do caiaque, considerada como item básico de segurança da embarcação e é utilizada principalmente para segurança e regaste e outras finalidades.

– Cockpit ou Cabine: Onde você entra e comanda seu barco, ele é composto no mínimo por um assento e um par de firma-pés, ambos para proporcionar maior conforto e segurança ao navegar;

– Compartimentos de Carga Estanques: Área internas e vedadas com tampas para o transporte de toda a sua bagagem. Eles também garantem a flutuabilidade de sua embarcação.

– DayHatch ou Porta-luvas: Pequeno compartimento de carga, também estanque, para que o remador possa guardar os itens de fácil e rápido acesso com as mãos como rádio, lanches, celular, gps, entre outros.

Nada muito difícil não é? A cada nova publicação aprendemos mais sobre o caiaque oceânico turismo e vamos lhe deixando ainda mais confiante para experimentar esta atividade.

Até breve! 

Por:

ALVARO WALENDOWSKY

Instrutor de Canoagem Oceânica - Certificado ACA Nível 4

Na CANOAGEM TURISMO destacam-se suas expedições como a descida do Rio Cristalino no MT (300km/7 dias/2009) com Toni Ossi. Sozinho fez a circunavegação da Ilha de Santa Catarina (140km/4 dias/2011), Acompanhado do chileno Juan Zuazo, remaram do Rio Exploradores a Laguna Glaciar San Rafael e Retorno (280km/9dias/2011). Peruíbe SP – Paranaguá PR (240km/7 dias/2017), Cananéia SP – Penha SC (240km/7 dias/2018) e diversas outras pela costa catarinense, seu campo de treinamento. . No Alaska em 2013 realizou sua mais longa expedição ao cruzar o Golfo do Alaska de Whitier a Port Valdez em caiaques oceânicos e nas Montanhas Chugach, numa só expedição, totalizando trinta dias de viagem sob a luz do sol do verão do Hemisfério Norte. No Chile cruzou duas vezes os Fiordes da Patagônia (2009/2014).  Na Argentina, Alvaro, Sarita e Pablo Passera remaram com as baleias Franca na Península Valdes (5 dias/2014). Sua mais recente expedição aconteceu pelas gélidas águas do Lago Titicaca (3.810m.a.n.m.) em uma circunavegação solitária de 400km / 12 dias entre dois países, Peru e Bolívia (19-31/07/2019). 

Este artigo que faz parte da nossa série de publicações Descobrindo a Canoagem Oceânica, produzida em parceria com a Sea To Summit Brasil e Gear Tips. Um canal especializado em Equipamentos de Aventura destinados à pratica de Hiking, Trekking e outras atividades Outdoor.